04 de abril de 2017

Criador da web afirma que usuários estão em perigo

“A privacidade é um valor norte-americano central, não é uma coisa partidária. Os democratas lutam por ele e os republicanos lutam por ele, também, talvez até mais”, afirma ao explicar porque deveria haver um debate maior entre os partidos.

JULIANA AMÉRICO | O inventor da world wide web, Tim Berners-Lee, não está orgulhoso com o rumo que a sua criação está tomando em relação à privacidade. Em entrevista ao jornal The Guardian, Berners-Lee afirma que os usuários estão em perigo e que o modelo que ele projetou para a internet está sob ameaça.

 

Segundo o cientista, somos muito vulneráveis quando usamos a internet. “Há coisas que as pessoas fazem na web que revelam absolutamente tudo, às vezes mais do que elas próprias sabem”, afirma.

 

Berners-Lee acredita que os políticos e legisladores precisam rever as leis de privacidade que estão sendo aplicadas na internet. Recentemente, os Estados Unidos passaram a permitir que as informações de navegação dos usuários fossem vendidas para anunciantes. “A privacidade é um valor norte-americano central, não é uma coisa partidária. Os democratas lutam por ele e os republicanos lutam por ele, também, talvez até mais”, afirma ao explicar porque deveria haver um debate maior entre os partidos.

 

Berners-Lee lançou o primeiro site em 1º de agosto de 1991 e recebeu neste ano o Prêmio Turing, uma espécie de Nobel da computação, por "importantes contribuições duradouras para a computação". Ele ajudou no desenvolvimento de muitos dos protocolos ainda utilizados hoje, como HTTP e HTML.

 

No entanto, depois de projetar a web como um sistema igualitário, Berners-Lee diz que o seu modelo está sendo ameaçado por uma série de tendências, incluindo publicidade intrusiva, clickbait, monitoramento online e partidarismo político, que estão corroendo as qualidades que tornavam a web aberta e inclusiva.

 

Fonte: olhardigital.uol.com.br