17 de agosto de 2016

Tradicional 'Festa de 15 de Agosto' pode acabar

A tradicional ‘Festa de 15 de Agosto’ vem perdendo força, e corre o risco de acabar.

DESTERRO/GENTIO DO OURO | Todos os anos, em Desterro, povoado de Gentio do Ouro (BA), comemora-se em 15 de agosto, o Dia de Nossa Senhora da Glória, padroeira da comunidade. É costume antigo, e logo após a missa, o povo reúne-se em procissão, percorrendo todo o lugarejo.

 

O festejo reúne pessoas da localidade, de comunidades vizinhas e até de outras cidades, a exemplo de Irecê, Ibipeba, Xique-Xique. Era de costume, com o intuito de contribuir com o festejo, a realização de leilões de bolos, frangos assados, e até carneiros. O dinheiro arrecadado com os leilões era destinado à igreja. Mas a tradicional ‘Festa de 15 de Agosto’ vem perdendo força, e corre o risco de acabar.

 

Apesar de ainda ser uma festa agradável, o verdadeiro significado do evento vem sendo esquecido, prostituído por moradores e visitantes. São poucos os que participam da missa e da procissão, muitos usam seus carros com som alto, impedindo a passagem do cortejo da padroeira. “O povo não frequenta mais a igreja, não colabora; muitos fazem é prejudicar, não respeitando nem mesmo a padroeira da festa, e ainda colocam seus carros no meio da rua, para atrapalhar a passagem da gente. É uma falta de vergonha sem tamanho”, disse Ednalva Malaquias, uma das cuidadoras da igreja. O viver em comunidade parece não existir e significar, nem para muitos da comunidade, nem para a maioria dos visitantes, pois desrespeitam a tradição local, dando vazão às bebedeiras. “Cada vez mais as pessoas dão menos importância ao verdadeiro significado da festa, que é a comemoração do Dia de Nossa Senhora da Glória”, disse Leidi Freitas. Osmar Gonçalves Paiva, nascido em Desterro, e hoje morador de Irecê, é outro observador e crítico com causa. “Um bonito festejo e muito tradicional, porém, fico triste, pois sempre que vejo fotos do evento, percebo que a cada dia aumenta mais o interesse pelas bebedeiras, e diminuição drástica da participação dos comunitários na missa, e na procissão. Mas, de qualquer forma, é bonito e gostoso ver o encontro dos povos”, refletiu Osmar Gonçalves Paiva.

 

Momento das ofertas.

 

Cânticos.

 

Missa. É bom lembrar que a igreja recebeu uma pequena reforna, ganhando forro em gesso. O material para o forro foi doado por Manoel Messias.

 

Início - Saindo da Igreja.

 

Passando em frente à casa de Rubenaldo, o popular 'Fiscal'.

 

Início da caminhada, passando defronte a casa de 'Lorão'.