Geisa Barreto - Conciliadora pelo Tribunal de Justiça do estado da Bahia, nos Juizados Especiais e Adjuntos Cível e Criminal; Especialista em Psicologia Conjugal e Familiar pela (FRB) em Salvador. Psicoterapeuta Sexual e Familiar; Graduada em Psicologia Clínica pela (FRB).
18 de abril de 2017 Geisa Barreto

Apenas abrace!

Talvez você não tenha outra chance. Talvez eu esteja escrevendo este texto, inspirada. Apenas acordei com uma voz singela no ouvido da alma dizendo: Apenas abrace, pode não haver outra chance.

A solidão profunda invade a alma dos seres viventes neste planeta, nesta hora tão delicada da humanidade. Doenças estranhas invadem a mente e somatizam os corpos, e os avanços tecnológicos de nada servem para barrar a grande solidão que encaminha gritante.

 

Os sintomas eclodem num pedido de “SOCORRO”, e são vistos como inimigos a se retirar com procedimentos médicos. A febre do corpo anuncia a luta em falar para você: “acorda, levanta”... EU TE AMO! E tome dipironas contra o nosso amigo: o sintoma.

 

A ansiedade vem forte mandando você ir, e falar logo (e tome um RIVOTRIL, e joga-se na sombra o caminho de resolução).

Deus nos dá milhões de recursos diários para desta vez dar certo, mas perdemos todos eles. Deus está na porta da sua casa, batendo; mas você não escuta, hipnotizado na nova simpatia ou no horóscopo que leu na revista, para dar certo.

 

Você entra em repartições públicas, e as pessoas contam duas cadeiras e se sentam, por não gostarem de estar juntas, ou se tocar.

Entram em suas casas, e os fornos micro-ondas assassinam a mesa do jantar com todos passando os pratos e olhando-se, contando os casos do dia.

 

Entram no trabalho em silêncio, abrem os aplicativos de celular, MSN e e-mail interno, e dão um bom dia com carinha de sorriso... Mudam o perfil de suas redes sociais com uma frase que, na prática, é utopia para sua ação. “Nossa alma palpita solidão!”

 

“EVITAMOS O ERRO E ADIAMOS O ACERTO”

 

Anote a frase acima e leia novamente.
Chamamos de demônio uma parte nossa que precisa apenas de amor. Tentamos nos afastar, para meditar e subir montanhas para ter a luz e erramos feio. Pensamos ser plantas produtoras de fotossíntese.

 

Desacreditamos no outro. Esquecemos de apenas ABRAÇAR. Você pode atrair tudo de bom na sua vida, se apenas tocar, cheirar o suor e abraçar sem medo.

 

Aceitar as provocações, traições e inimigos como provações necessárias para subir e realmente mudar. Não são as pessoas que não nos causam dor as que nos ensinam!

 

São sim, aquelas que fazem sangrar, os enviados por Deus, para o exercício real do amor, do perdão e do que mais se possa fazer. Você procura nas ruas, na igreja, na noite, a solução. E ela dorme na sua cama, na sua casa, no seu trabalho ou do que precisa, mas viaja o mundo para entender.

 

Então, o ser humano se trancou em comunidades virtuais, frases feitas e avatares. Adoeceu e adoece loucamente, e deixa-se ir lentamente.

Apenas ABRACE, ABRACE agora!


Talvez você não tenha outra chance. Talvez eu esteja escrevendo este texto, inspirada. Apenas acordei com uma voz singela no ouvido da alma dizendo: Apenas abrace, pode não haver outra chance.

 

Texto - ligeiramente adaptado - de Jordan Campos - http://www.jordancampos.com.br