Leandro Amaral Lopes - Médico generalista, da saúde da família, emergencista do SAMU, oftalmologista.
19 de setembro de 2018 | Leandro Amaral

Seu filho está com dificuldade na escola?

Diversos problemas podem causar essa baixa de visão, alguns com nomes bem estranhos como astigmatismo, miopia, hipermetropia e estrabismo.

Muitas vezes a dificuldade no aprendizado das crianças está relacionada com a dificuldade de enxergar. Desta forma, é fundamental que pais e professores estejam atentos a comportamentos que as crianças possam apresentar, pois nem sempre estes conseguem expressar as suas dificuldades.

 

Os comportamentos ou queixas mais comuns são: apertar e piscar os olhos em excesso, dificuldade para ver de perto, dores de cabeça, dificuldade para ver o quadro da sala de aula e, ainda, nos esportes que exigem boa visão a certas distâncias.

 

Diversos problemas podem causar essa baixa de visão, alguns com nomes bem estranhos como astigmatismo, miopia, hipermetropia e estrabismo. Não se trata de problemas graves, mas que podem repercutir de maneira considerável na vida da criança. Por isso é importante realizar avaliação médica periódica com oftalmologista desde o nascimento.

 

O tratamento precoce evita perda de visão definitiva em muitos casos, por isto a importância de avaliações periódicas, ou logo que perceber algum sintoma.
21 de agosto de 2018 | Leandro Amaral

Sensação de areia no olho

Na maioria das vezes este sintoma está relacionado ao olho seco...

A lágrima possui papel fundamental na hidratação e lubrificação da face anterior do olho e é responsável por manter uma boa saúde ocular. Com o avanço da idade, condições climáticas de baixa umidade, uso abusivo diante das telas de computador e celular, e andar de moto com capacete sem viseira, há maior propensão a distúrbios oculares.

A queixa campeã desses pacientes é a sensação de que existe areia em um ou ambos os olhos. Na maioria das vezes este sintoma está relacionado ao olho seco. Entretanto, existem outras possibilidades diagnósticas a serem pesquisadas.

Como medidas gerais de tratamento, o ideal seria passar somente 2hs do dia em frente às telas, aumentar o número de vezes que pisca os olhos, ao andar de moto usar capacete com viseira e o uso de colírios lubrificantes.

20 de julho de 2018 | Leandro Amaral

Estou usando os óculos de outra pessoa

Quem se arrisca em usar as lentes de outra pessoa está sujeito a sentir dores de cabeça, tontura, enjoo e fadiga.

*Leandro Amaral Lopes | As aberturas feitas nos capacetes dos soldados da antiguidade na altura dos olhos eram chamadas de ocularium, e foi este termo que deu origem ao nome óculos.

Assim como as roupas que usamos, as lentes dos óculos possuem diversas medidas, como o valor dos “graus” (por vezes, na mesma lente possui 2, 3 ou mais), a distância ideal de foco, os pontos de melhor qualidade de visão, os pontos de distorção entre outros. Por este motivo, são de uso individual.

 

Quem se arrisca em usar as lentes de outra pessoa está sujeito a sentir dores de cabeça, tontura, enjoo e fadiga. Além disso, podem ocorrer distorções da visão e levar a certos acidentes e quedas.

 

O exame detalhado dos olhos, a realização das medidas e o ajuste das lentes na armação e desta no corpo é que permitirá a melhor qualidade óptica tanto para longe quanto para perto.

17 de junho de 2018 | Leandro Amaral

Você fica o dia inteiro no computador ou em frente à tela?

Faça pausas durante o trabalho para possibilitar que a musculatura dos seus olhos se movimentem.

É inegável que a tecnologia veio para nos ajudar, mas junto a isso vêm seus efeitos nocivos à saúde e todos nós devemos estar atentos e controlar seus efeitos. Seja como ferramenta de trabalho ou como forma de lazer, o uso de instrumentos tecnológicos com telas deve seguir algumas dicas.

 

Em primeiro lugar, você deve ajustar a distância da cadeira ao monitor. O ideal é que esteja localizada a aproximadamente 60 cm um do outro. Não permita que reflexos de luz vindo de janelas ou lâmpadas sejam visto na sua tela, pois isto exige maior esforço visual. Já com relação ao brilho da tela, reduza a intensidade até ficar em um ponto confortável e que permita uma performance adequada de leitura.

 

Faça pausas durante o trabalho para possibilitar que a musculatura dos seus olhos se movimentem. Levante, deixe o computador e vá dar uma volta, procure focar em objetos mais distantes e mais próximos que estiver ao seu redor. Além de ser benéfico para a saúde ocular, esta estratégia permitirá um aumento na sua produção. Nunca se esqueça também de piscar os olhos para mantê-los hidratados e lubrificados.

 

Se mesmo com essas dicas, algum sintoma persistir, como ficar com os olhos vermelhos, irritados, como se estivesse cisco ou se cansando muito rápido, pode ser indício de que algo não vai bem e será necessária uma avaliação do caso.
19 de maio de 2018 | Leandro Amaral

É possível evitar a cegueira ou deixar de ser cego?

A maioria delas podem ser evitadas ou se tratada precocemente evitam um dano visual acelerado e definitivo

No mundo existem mais de 37 milhões de pessoas cegas, isto representa seis pessoas a cada 1.000. A maioria está localizada nas regiões mais pobres onde outras estatísticas elevam este número para 50 milhões de cegos.

 

Existe ainda muita falta de informação, e quando falamos em cegueira, nos referimos a pessoas que não enxergam e a pessoas com baixa visão, isto é, apresentam uma visão menor do que 5%. Tecnicamente chamamos de cegueira legal, pois é concedido benefício pelo governo a este perfil de paciente.

 

Segundo as mesmas estimativas, 90% dos casos de cegueira ocorrem nas áreas mais pobres do mundo, sendo que 60% são evitáveis, 25% são de causas infecciosas e 20 % das cegueiras já instaladas são recuperáveis. Se somarmos os casos de baixa visão e cegueira, chegaríamos a 80% de casos que poderiam ter sido evitados.

 

As principais causas de cegueira no mundo estão relacionadas à catarata, glaucoma, degeneração macular relacionada à idade, diabetes mellitus, erros de refração (grau de óculos), tracomas etc. A maioria delas podem ser evitadas ou se tratada precocemente evitam um dano visual acelerado e definitivo. Desta forma, mesmo sem apresentar sintomas significativos, os exames periódicos são recomentados.
19 de abril de 2018 | Leandro Amaral

Retinopatia Diabética

É importante não dar chance para o azar...

Quem convive com o diabetes sabe o quanto esta doença é traiçoeira, leva a descontrole alimentar, obesidade, e nos estágios finais, a amputação de membros, infarto e o popularmente conhecido “derrame cerebral”. No entanto, poucos se dão conta que se trata também de uma doença que afeta o olho; é a principal causa de cegueira na população economicamente ativa.

 

Classificada como uma complicação do diabetes, esta doença da retina pode comprometer a visão em 80% dos casos após 20 anos de doença, sendo pior nos diabéticos tipo1. Com o agravamento do quadro, há o desenvolvimento de hemorragias dentro do olho e até descolamento de retina.

 

Sem fugir à regra desta categoria de doença, no início não há sintomas como dor, baixa de visão, secreção ou ardência; por isto é necessária visualização direta da retina pelo médico especialista com o objetivo de identificar possíveis hemorragias e aneurismas o mais cedo possível.

 

O acompanhamento é feito através de exame periódico de mapeamento de retina e testes glicêmicos. Já o tratamento também se baseia no controle dos níveis de açúcar do sangue e assim que se faça necessário intervenção, existe a possibilidade de tratamento a laser e injeções no fundo do olho na tentativa de frear a evolução da doença até a realização de procedimento cirúrgico.

 

É importante não dar chance para o azar, adote hábitos saudáveis de vida, faça exercícios físicos, tenha boa alimentação e cuide bem de quem faz enxergar as belezas da vida: seu coração e seus olhos.

19 de março de 2018 | Leandro Amaral

Ambliopia

O tratamento depende da causa, nos casos de catarata congênita é necessário realizar cirurgia...

O “olho preguiçoso”, ou ambliopia é uma redução da acuidade visual de um dos olhos, ou dos dois em que não é encontrado lesão definitiva ao exame oftalmológico. O problema é funcional e pode ocorrer mesmo com o uso de óculos.

 

A falha no amadurecimento do seguimento cerebral responsável pela visão pode ocorrer secundário ao não tratamento das pessoas que têm “grau de óculos elevado” (alta ametropia), catarata congênita, ou qualquer outro fator que atrapalhe ter uma visão nítida.

 

Cada olho envia uma imagem para o cérebro e este deve uni-las em uma só imagem. Pode acontecer de um dos olhos ser portador de disfunção que visualiza uma imagem distorcida, logo, o cérebro trata de suprimir a imagem mais borrada deixando este olho deficiente para sempre, se o problema não for corrigido na infância.

 

O tratamento depende da causa, nos casos de catarata congênita é necessário realizar cirurgia, assim como em muitos casos de estrabismo. Porém, a maioria dos casos será resolvida com uso de óculos e tampão. A melhor recuperação da visão ocorre quando o tratamento é realizado em crianças de até nove anos de idade, podendo variar de pessoa para pessoa.

20 de fevereiro de 2018 | Leandro Amaral

Moscas Volantes

‘Dr., parece que tem um mosquitinho ou um cisco passado nas vistas’

A percepção de pequenos pontos escuros, manchas, filamentos, círculos ou teias de aranha que parecem se movimentar na frente da visão foi descrita há mais de dois mil anos, na Roma antiga, com a expressão ‘muscae volitantes’. Esses sintomas são percebidos mais facilmente durante a leitura, ao olhar fixo, ou olhar para uma parede branca.

 

Devido ao envelhecimento natural, o vítreo (gel que preenche o seguimento posterior do olho), degenera-se podendo provocar sintomas, sem que isto obrigatoriamente cause danos grave a visão. Embora pareçam estar na frente do olho, a sua localização é dentro do olho onde se encontra flutuando.

 

Nos casos em que as moscas volantes atrapalhem a clareza da visão, cause impacto na performance de leitura ou ao dirigir, uma tentativa é girar os olhos, olhar para cima ou para baixo no intuito de deslocar os grumos para outra posição. Já nos casos em que ocorram rasgos, roturas ou buracos na retina, há necessidade de tratamento o mais rápido possível a fim de evitar um possível descolamento de retina, que é grave do pondo de vista oftalmológico, sendo considerado uma emergência.

 

Sem um exame realizado por oftalmologista não é possível determinar se há indícios de problemas graves; por isto, mesmo que você já os tenha há bastante tempo, somente um exame completo com mapeamento de retina pode afastar complicações graves.
20 de janeiro de 2018 | Leandro Amaral

Hordéolo e Calázio

Estas duas doenças não afetam a visão, mas causam incômodos como dor, e vermelhidão no local

O hordéolo é muito conhecido pela população há bastante tempo pelos nomes de terçol, treçolho, tersol, viúvo ou belezinha. Trata-se de uma infeção ou infamação das glândulas da margem palpebral. O calázio é uma inflamação crônica, menos dolorosa e maior em relação ao hordéolo, e boa parte das vezes precisa de tratamento cirúrgico.

 

Devido à variação hormonal, os adolescentes estão mais sujeitos a serem acometidos por essas doenças, que se desenvolvem por conta de uma secreção gordurosa desequilibrada ou por infecção bacteriana, mas na maioria das vezes ambas [doenças] ocorrem juntas e geram sintomas como inchaço nas pálpebras, formação de “caroço” no local, coceira, vermelhidão e incômodo.

 

Existem, também, muitos mitos que, em termos de conhecimento popular, tratariam estas doenças com o simples esquentar de uma aliança colocada no local, friccionar o dedo e pressionar a lesão, tomar bastante água de manhã cedo etc.; mas a maior crendice de todas é que ‘contrariar desejo de mulher grávida’ causa terçol! Calma gente, saiba que a base do tratamento é aplicar sobre as lesões compressa morna algumas vezes ao dia.

 

Estas duas doenças não afetam a visão, mas causam incômodos como dor, e vermelhidão no local. Com o tratamento adequado, o hordéolo pode resolver-se em aproximadamente sete dias, e o calázio pode demorar até 90 dias. Caso isto não ocorra, pode ser necessária intervenção cirúrgica. Para esta avaliação procure seu médico oftalmologista.

20 de dezembro de 2017 | Leandro Amaral

Doutor, tenho somente uma visão. O que eu posso fazer?

Procurem se informar como fica a adaptação à vida de quem perdeu uma visão.

A pessoa que tem visão em apenas um olho, ou visão monocular, apresenta acuidade visual inferior a 20/400 com a melhor correção visual. Isto provoca dificuldade na visão estereoscópica, ou seja, visão espacial dos objetos que permite avaliar a profundidade de foco. Porém, a visão de cores, forma e tamanho estão preservadas.

 

A principal causa de perda da visão em um olho é o trauma ocular, que acontece na maioria das vezes em homens que estão em idade produtiva e por isso cria barreiras físicas e psicológicas na disputa de oportunidades no mercado de trabalho. A legislação para obtenção de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) permite a obtenção das categorias A e B, desde que não seja de forma profissional.

 

Com relação ao direito previdenciário, a concessão de aposentadoria por invalidez ao portador de cegueira monocular tem sido negada. Mas diferentemente deste caso, as reservas de vaga em concurso já tem jurisprudência pacífica, inclusive por súmula no Superior Tribunal de Justiça.


As leis estão em constantes mudanças e a interpretação pessoal tem variado bastante nos diversos tipos de aspecto, podendo ter divergências até no próprio poder judiciário. Um exemplo é sobre o transporte coletivo, que são regidas por leis estaduais e municipais, havendo grande número de decisões favoráveis.

 

Para finalizar, utilizo a frase do grande médico, professor e artista português Abel Salazar, que diz que “O médico que só sabe Medicina, nem Medicina sabe”.

 

Procurem se informar como fica a adaptação à vida de quem perdeu uma visão.

20 de novembro de 2017 | Leandro Amaral

Dia Mundial do Diabetes

Quem controla melhor o diabetes retardará muito o tempo de surgimento da retinopatia diabética.

No último dia 14, foi celebrado o dia mundial do diabetes. Doença crônica que atinge vários órgãos do corpo, podendo afetar também os olhos e, se não for cuidado, pode levar a perda da visão.

 

Nos olhos, o diabetes afeta principalmente a retina, e causa uma doença chamada retinopatia diabética, onde causa deformidade na parede dos vasos sanguíneos, hemorragias, inchaço e até a perda da visão por completo.

 

É portando, uma das principais causas de cegueira no mundo, os dois principais fatores de risco para sua progressão é o tempo de doença e o mal controle glicêmico, por isso, um controle adequado feito por trabalho multidisciplinar com nutricionista e endocrinologista é muito importante para frear o surgimento dessas alterações.

 

A rotina para avaliação envolve consulta com médico oftalmologista, mapeamento de retina, retinografia e tomografia. Já o tratamento é feito com controle glicêmico, laser e terapia antiangiogênica. Esta última trata-se da forma mais moderna de tratamento, agindo diretamente nos vasos sanguíneos, reduzindo o inchaço retiniano, absorvendo as hemorragias e impedindo a formação de vasos imperfeitos.

 

Quem controla melhor o diabetes retardará muito o tempo de surgimento da retinopatia diabética. Por isto é muito importante conhecer a doença, se cuidar, procurar um médico especialista na área e praticar exercício físico. Podendo assim aproveitar uma vida com qualidade.

19 de outubro de 2017 | Leandro Amaral

Sinais que podem indicar problema na visão

Coçar os olhos quando cansados ou com sono é normal, mas se tal ação ocorre durante atividades do cotidiano que exige concentração ou quando está tentando enxergar alguma coisa é sinal de que algo não vai bem.

Dos cinco sentidos que os seres humanos possuem, a visão é responsável por 80% das informações que recebemos. Quando falamos em criança, o problema se agrava, pois, pertencem a uma faixa etária que ainda há o que aprender, que podem não saber se queixar ou mesmo perceber que não estão enxergando bem. Sem uma visão adequada todo o processo de aprendizado torna-se mais lento e sofrido.

 

Sentar muito próximo da TV ou trazer cadernos e livros para próximo da face na hora de ler pode ser um indício de que a criança tenha miopia (distúrbio da visão que dificulta enxergar de longe, como por exemplo, o quadro da sala de aula).

 

Coçar os olhos quando cansados ou com sono é normal, mas se tal ação ocorre durante atividades do cotidiano que exige concentração ou quando está tentando enxergar alguma coisa é sinal de que algo não vai bem. Normalmente, isto é indicativo de necessidade de óculos ou alergia ocular. Lembrando que o ato de coçar também pode desenvolver ceratocone. Pular a linha quando está lendo um texto ou voltar para a mesma também é um indicativo de algum problema visual, podendo ser falta de óculos ou insuficiência de convergência, que pode ser tratada com exercícios ortópticos.

 

A sensibilidade ou lacrimejamento exagerada à luz é um sinal de fotofobia, principalmente em ambientes internos ou quando comparadas com outras pessoas que não se sentem incomodadas no mesmo ambiente desencadeador dos sintomas.

 

Outros sinais incluem fechar um dos olhos para enxergar melhor, notas ruins na escola sem nenhum motivo aparente, queixas constantes de dor de cabeça e inclinar a cabeça para um lado com o objetivo de enxergar melhor.

 

Todas as crianças devem fazer pelo menos o teste do olhinho ao nascer, um exame oftalmológico aos seis meses de vida, outro aos dois anos, três anos de idade, seguindo com exames anuais de rotina. Estas recomendações são ainda mais importantes para quem já tem problemas na visão ou que tenha algum parente que também a possua.
19 de setembro de 2017 | Leandro Amaral

Olhos Vitaminados

A vitamina C e a vitamina E são ótimos antioxidantes e agentes contra a catarata e degeneração macular.

Sempre ouvimos falar, principalmente dos mais velhos, sobre a importância das vitaminas na nossa alimentação a fim de nos manter saudáveis e fortes. Isto cada vez mais vem tomando destaque no meio médico, principalmente pelo conhecimento refinado de como cada vitamina age em cada parte do nosso organismo.

 

A vitamina A é muito importante para a visão e pode ser encontrada na forma animal por meio da ingestão de fígado, no leite, no queijo, na gema de ovo; já na forma vegetal pode ser encontrada na cenoura, abóbora, batata doce e vegetais de folhas escuras, como o espinafre e a couve. A deficiência dessa vitamina pode levar defeitos na formação óssea, cegueira noturna, ressecamento dos olhos e até lesões na córnea.

A riboflavina ou vitamina B2 permite a produção de energia e é essencial para atividade de várias enzimas que protegem os olhos e previnem as cataratas. Pode ser encontrada no pão, no leite, na levedura de cerveja, nos vegetais verdes, no fígado e amêndoas.

 

A vitamina C e a vitamina E são ótimos antioxidantes e agentes contra a catarata e degeneração macular. Mantendo uma alimentação saudável e balanceada, não há a necessidade de suplementação de Vitamina C, pois são encontradas em quantidade suficiente na laranja, acerola e pimentão, por exemplo. Já a vitamina E pode ser encontrada em óleos vegetais, gema de ovo, germe de trigo, leite e sementes de girassol.

 

Portanto, sempre devemos estar muito atentos à nossa alimentação. O objetivo é mantê-la saudável e equilibrada por toda a vida e, de preferência, associada a atividades físicas e hábitos saudáveis de vida. É importante lembrar também, que o excesso de vitaminas é prejudicial e pode levar a problemas sérios de saúde.

20 de agosto de 2017 | Leandro Amaral

Óculos para computador, celular e tablet

O excesso de exposição à luz azul violeta emitida pelas telas é que prejudicarão a nossa visão.

É inegável que a tecnologia veio para nos ajudar, mas ela também carrega com sigo efeitos prejudicais para a saúde. Passar muitas horas em frente das telas de computador, celular ou tablet já é uma realidade que atinge todas as faixas etárias e devemos sempre buscar alternativas que neutralizem ou minimizem os riscos deste novo contexto tecnológico prejudicar a nossa visão.

 

Os primeiros sintomas da fadiga ocular incluem sensação de cansaço nos olhos, dores de cabeça, no pescoço ou nas costas, ou ainda sensibilidade à luz; olhos secos ou vermelhos, ardência e queimação. Normalmente este é o resultado de se concentrar em uma tela por longos períodos de tempo, possivelmente também associado com uma postura pouco natural.

 

O excesso de exposição à luz azul violeta emitida pelas telas é que prejudicarão a nossa visão. Além de causar inflamação dolorosa na conjuntiva e na córnea, ela pode produzir levar a formação de catarata e, sobretudo, degeneração macular, que é o principal setor responsável pela visão. Por outro lado, quando há exposição por um período de tempo ideal seus benefícios são evidentes e fundamentais para o funcionamento do nosso organismo.

 

Como solução, diversas empresas investem pesado para inserir tratamentos nas lentes com o objetivo de filtrar os espectros de luz que danificam a visão, como as ultravioletas (UV) e mais recentemente a luz azul violeta. Os mais procurados são o antirreflexo BlueControl™ da marca HOYA, e o Duravision®BlueProtect da marca ZEISS.

 

Portanto, é evidente que dificilmente alguém viva sem desfrutar dos benefícios que a tecnologia nos proporciona, mas como segurança devemos nos proteger dos seus efeitos indesejáveis procurando ajuda de um profissional médico especializado. O oftalmologista é o único que está capacitado para tal cuidado. Mas não é só isso, os hábitos de vida saudáveis devem ser mantidos, e todo tipo de excesso precisa ser controlado.

20 de julho de 2017 | Leandro Amaral

Teste do Olhinho

Segundo pesquisas, mais da metade dos casos de criança com cegueira poderia ter sido detectada e tratada precocemente, caso este exame tivesse sido realizado.

Até o ano de 2012, o ‘teste do olhinho’ era obrigatório em 10 estados brasileiros, mas é recomendado que o exame seja feito em todas as crianças recém-nascidas por médico oftalmologista ou por pediatra que tenha recebido treinamento para isso.

 

O exame deve ser realizado, de preferência, na primeira semana de vida, quando o recém-nascido ainda se encontra na maternidade. Mas se não for feito nesta época, deve ser feito assim que possível.  

 

O ‘teste do olhinho’ é considerado normal quando iluminado pela fonte de luz do oftalmoscópio e o reflexo observado é vermelho ou alaranjado. Caso o reflexo seja branco ou tenha diferença significativa da cor dos reflexos entre os olhos, o exame é considerado alterado, e a criança deve obrigatoriamente ser encaminhada ao oftalmologista.

 

A realização deste exame é muito importante e pode detectar catarata congênita, retinopatia da prematuridade, retinoblastoma (tumor mais comum em crianças e que tem potencial para levar a óbito), infecções e persistência hiperplásica do vítreo primário.

 

Segundo pesquisas, mais da metade dos casos de criança com cegueira poderia ter sido detectada e tratada precocemente, caso este exame tivesse sido realizado.
18 de junho de 2017 | Leandro Amaral

Como escolher lentes multifocais

omo toda mercadoria, os preços dependem da marca, da ótica e dos fornecedores, e normalmente a qualidade está atrelada ao preço.

Veja imagem

Quanto melhor for a qualidade de uma lente, menor é a zona de aberração periférica. Com isto elas aumentam o campo útil de visão e diminui as distorções em algumas situações, como na caminhada e no descer degraus de escada.

Boa parte das pessoas acima dos 40 anos precisam usar óculos para ‘ver de longe e ler de perto’ ou, pelo menos, para unicamente ler de perto. Para isso, a melhor forma de corrigir é com lentes multifocais. Ainda há quem use e prefira as bi ou trifocais mas, esteticamente, essas são as mais desejadas.

 

As diversas marcas que atuam no mercado brasileiro produzem tanto lentes simples, quanto lentes multifocais. Podemos citar, por exemplo, a marca japonesa Hoya, e as alemãs Zeiss e Rodenstock. Todas elas são marcas tradicionais, possuem garantia e assistência para possíveis ajustes.

 

Quanto melhor for a qualidade de uma lente, menor é a zona de aberração periférica. Com isto elas aumentam o campo útil de visão e diminui as distorções em algumas situações, como na caminhada e no descer degraus de escada.

 

Como toda mercadoria, os preços dependem da marca, da ótica e dos fornecedores, e normalmente a qualidade está atrelada ao preço. Portanto, muito cuidado na hora da compra para o barato não sair caro.

 

O tratamento antirreflexo, além de melhorar a parte estética (quando uma pessoa o ver, observa seus olhos, não o reflexo da luz ou dos objetos na lente), melhora o conforto ao trabalhar no computador por diminuir o brilho da tela e melhora a visão ao dirigir a noite por reduzir os reflexos das luzes dos postes e dos faróis dos outros carros.

19 de maio de 2017 | Leandro Amaral

Podemos trocar a cor dos olhos?

As complicações mais comuns são a redução da visão, cegueira, aumento da pressão intraocular, podendo levar a glaucoma, catarata, lesões na córnea, além de uveítes de inflamação intraocular.

Existem procedimentos estéticos que permitem a troca da cor dos olhos; eles [procedimentos] envolvem a aplicação repetida de laser na íris (parte colorida do olho) ou cirurgia intraocular e implante de material estranho entre a íris e a córnea (região transparente na frente do olho).

 

Um médico panamenho foi o criador da modalidade cirúrgica que consiste em inserir uma lente de silicone atrás da córnea e na frente da íris, mudando assim, a cor dos olhos. Já o laser, foi desenvolvido nos Estados Unidos e o procedimento consiste em “retirar da íris um pigmento chamado de melanina”, que é a substância responsável pela cor escura tanto dos olhos como da pele. A regra é: quanto menos melanina, mais claro será a cor do olho.

 

No Panamá não existe qualquer tipo de lei que regulamenta estes tipos de procedimentos, mas aqui no Brasil existem normas técnicas que visam proteger a saúde ocular das pessoas, devendo qualquer procedimento ser aprovado por uma série de testes. O problema seria que estes procedimentos ainda encontram em estados pouco evoluídos, apresentando valores em que o risco do procedimento é maior que o benefício.

 

As complicações mais comuns são a redução da visão, cegueira, aumento da pressão intraocular, podendo levar a glaucoma, catarata, lesões na córnea, além de uveítes de inflamação intraocular.

 

Os profissionais da área continuam trabalhando para melhorar a técnica e adaptar os equipamentos para ter melhores resultados. No futuro próximo este procedimento será seguro.

20 de abril de 2017 | Leandro Amaral

Inflamação das pálpebras e dos cílios

A doença é muito comum e pode atingir pessoas de todas as idades, mas com predominância em idosos. Por isso é recomendado manter sempre as mãos limpas, unhas aparadas.

Blefarite é a inflamação das pálpebras. É uma doença crônica e de difícil tratamento. Normalmente caracterizada por uma disfunção em uma glândula que contém próximo a margem palpebral criando um meio que favorece o processo inflamatório, seja ele por infecção, hipersensibilidade a toxinas bacterianas ou de causa seborréica.

 

Os sintomas são bem variados e incluem coceira, irritação ocular, sensação de cisco no olho, lacrimejamento, incapacidade de usar lápis de maquiagem e muitas vezes o paciente acostuma com a condição e a percebe pouco ou acha normal. O diagnóstico é feito por equipamento específico do seu médico oftalmologista.

 

A doença é muito comum e pode atingir pessoas de todas as idades, mas com predominância em idosos. Por isso é recomendado manter sempre as mãos limpas, unhas aparadas. O uso de compressas mornas quatro vezes ao dia é muito importante, assim como limpeza com xampu específico para pálpebras e os cílios.

 

O tratamento adequado é realizado por médico e depende de cada tipo de blefarite. É importante ter noção dos sintomas e procurar orientações a fim de evitar queda dos cílios e irritações crônicas. 

20 de março de 2017 | Leandro Amaral

Conjuntivites

Ao apresentar sintomas, procure o seu médico oftalmologista.

Conjuntivite é a inflamação da membrana que recobre a parte branca do nosso olho, denominada conjuntiva, podendo ser de origem infecciosa ou não. Quando esta fica inflamada, o nosso olho fica vermelho, com sensação de areia, lacrimejamento, irritação, entre outros sinais e sintomas.

 

Nos casos infecciosos a etiologia pode ser viral (forma mais comum), bacteriana ou até por outros micro-organismos menos comuns. Quando é causada pelo vírus Zika é incluído na Febre do Zika em aproximadamente 50-90% dos casos. No geral, é um quadro leve, com poucos sintomas, que dura poucos dias e resolve sozinha. O tratamento consiste apenas em fazer higiene com soro fisiológico, usar colírios lubrificantes, lavar bem as mãos e evitar maiores contatos com outras pessoas a fim de evitar a transmissão.

 

Os relatos de alterações oculares graves relacionadas ao vírus Zika que incluem até cegueira acometem apenas recém-nascidos e lactentes cujas mães tiveram a forma sistêmica durante a gestação.

 

Fique de olho nos sintomas mais comuns:

 

Irritação ocular, olho vermelho, edema (inchaço) palpebral, sensação de "areia nos olhos"), intolerância à luz, aumento de secreção ocular e lacrimejamento.

 

Como evitar a transmissão:

 

Não compartilhe objetos de uso pessoal (toalhas, maquiagem, óculos, travesseiros, fronhas), evitar coçar os olhos, lave as mãos frequentemente com água corrente, sabão; use álcool gel 70%, evite locais com aglomeração de pessoas.

 

Se uma pessoa infectada pela doença coçar os olhos, tocar algum objeto com a mão contaminada e outra pessoa utilizar o mesmo objeto e colocar a mão nos olhos, ela pode pegar a doença. Os quadros mais graves são causados por bactérias. Ao apresentar sintomas, procure o seu médico oftalmologista.

20 de fevereiro de 2017 | Leandro Amaral

Dicas para facilitar a vida de uma pessoa com visão subnormal

Veja algumas medidas preventivas que podem facilmente serem colocadas em prática

O portador de visão subnormal é aquele em que os recursos tradicionais, como óculos comum, tratamento clínico e cirúrgico e lentes de contato não são suficientes para lhe proporcionar uma visão nítida. Necessitando, portanto, de recursos especiais e orientações para que realize suas atividades e melhore sua qualidade de vida.   
    
Geralmente são pessoas “esquecidas” na sociedade, pois esta reconhece bem apenas quem é cego, quem enxerga e quem usa óculos para correção da visão.

 

Veja algumas medidas preventivas que podem facilmente serem colocadas em prática e, assim, melhorar a qualidade de vida e evitar acidentes em pessoas com visão subnormal:

 

1 - Ajustar ou aumentar a iluminação do ambiente em que a pessoa vive e/ou transita;
2 - As cores das paredes devem ser sempre claras;
3 - Eliminar tapetes ou carpetes que se dobram ou deslizam;
4 - Remover mesinha de centro;
5 - Manter a mobília sempre no mesmo lugar;
6 - Deixar qualquer tipo de porta ou aberta ou fechada, nunca entreabertas;
7 - Marcar em alto relevo a posição desligada nos controles do fogão e do forno;
8 - Utilizar sempre cores contrastantes, principalmente em barras de segurança, escadas, bancadas de cozinha, tábua de cortar alimentos, pratos, forro de mesa etc.;
9 - Manter a tampa do fogão sempre aberta ou tirá-la.

 

Esses pequenos detalhes fazem grande diferença. Sejamos mais independentes.
19 de janeiro de 2017 | Leandro Amaral

Três atitudes que não devem ser feitas com seus olhos

Adote estes hábitos e melhore sua saúde ocular!

Como diz o ditado popular, “os olhos são a janela da alma”, a visão nos desperta diversos sentimentos e é o principal sentido que nos permite ser independente no dia a dia. Ao passar pela rua, podemos desviar de diversos obstáculos, avistar a moto que vem vindo, fazer leituras, digitar senhas em caixas eletrônicos e muito mais.

 

Portanto, aqui vão algumas dicas para a saúde ocular:

 

1 - Você não pode deixar de usar óculos escuros. Em todos os dias claros e ensolarados deve-se usá-los, pois a radiação ultravioleta é responsável por acelerar o processo de formação de catarata, causar diversos outros problemas, proporcionar um visual diferenciado e aumentar o conforto ocular nesses dias.

 

Os óculos mais indicados são encontrados em óticas; um consultor ou vendedor óptico deve estar qualificado a mostrar as melhores opções de acordo com sua necessidade e o formato do seu rosto.

 

2 - Evite coçar os olhos. Quando estamos sonolentos ou com alguma alergia é natural coçarmos os olhos; no entanto, esta atitude pode causar ou acelerar o desenvolvimento de ceratocone. Além disso, caso as mãos e os dedos não estejam descontaminados, existe a chance de levar bactérias, vírus, ou substâncias tóxicas e irritantes para os olhos.

 

3 - É sabido que fumar leva a diversas doenças do pulmão e coração, mas também afeta a visão. Diversas substâncias são responsáveis por provocar glaucoma, síndrome do olho seco e degeneração macular. Além disso, a fumaça é um agente potencial de irritação ocular, prejudicando muito a qualidade da lágrima.

 

Adote estes hábitos e melhore sua saúde ocular!
21 de dezembro de 2016 | Leandro Amaral

Olho vivo no Zika Vírus!

A prevenção é o melhor remédio!

Em abril de 2015, quando foi identificada pela primeira vez a transmissão em terras brasileiras do vírus Zika, ninguém imaginava que estaríamos prestes a sofrer uma epidemia tão grave e de repercussão mundial.

 

A principal via de transmissão dessa doença é pela picada de mosquito, o Aedes Aegypti, mesmo transmissor do Dengue, Chikungunya e Febre Amarela. Seu diagnóstico feito até o sétimo dia de infecção é realizado por dois exames: reação da trascriptase reversa, seguida da reação em cadeia de polimerase. Após este período, o exame disponível é um teste sorológico para detecção de anticorpos.

 

Em outubro do mesmo ano, após o início do surto, percebeu-se um rápido aumento não só do número de casos de Guillain Barré no país, mas principalmente, do número de recém-nascidos com microcefalia. A associação foi confirmada após o ministério da Saúde do Brasil detectar vírus no líquido amniótico de mulheres grávidas de bebês com microcefalia, no tecido de um recém-nascido, e anticorpos no líquido cefalorraquidiano.

 

O impacto da microcefalia é enorme, visto que estas crianças podem ter o desenvolvimento cognitivo debilitado, além de perdas auditivas/visuais, e de movimentação e estabilidade dos membros, gerando assim, diversas dificuldades na criação e inserção destes indivíduos na sociedade.

 

A prevenção é o melhor remédio! Façam o teste do olhinho em seus filhos!

Feliz Natal e próspero ano novo para todos. O doutor de vocês sente saudade, sintam-se abraçados!

23 de novembro de 2016 | Leandro Amaral

7 dicas para uso de cosméticos e maquiagem oculares

Para diminuir o risco de qualquer produto ficar entre a lente de contato e a córnea, recomenda-se colocar a lente de contato de cinco a dez minutos antes de aplicar a maquiagem...

Remover toda a maquiagem antes de dormir:
As maquiagens devem ser removidas diariamente, pois o acúmulo de produtos e da própria oleosidade da  pele na borda das pálpebras causa inflamação e redução da qualidade da lágrima. Utilize sabonete ou xampu neutro apropriado para a retirada completa dos produtos e do próprio ‘demaquilante’, que também conta com resíduos e aumenta a oleosidade local.

 

Verificar a procedência dos ítens:
Antes de adquirir qualquer produto, deve-se verificar se ele é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância  Sanitária (Anvisa). Não utilize produtos de origem desconhecida, ou de procedência duvidosa.

 

Nunca compartilhar ou emprestar a maquiagem:
Grande parte das contaminações dos produtos relacionadas à maquiagem acontece pelo fato das pessoas dividirem os produtos líquidos, lápis ou pincel com outras pessoas. Quando o produto fica contaminado, ele pode transmitir doenças infectocontagiosas para os que utilizarem. Portanto, não se recomenda compartilhar  estes tipos de produtos.

Tome cuidados no uso de produtos na parte  interna das pálpebras:
O  lápis de olho deve ser  usado suavemente,  na borda externa das pálpebras e sem deixar  resíduos na parte interna da pálpebra. O rímel não deve ser usado em excesso.  O  mais  importante  é  a  retirada  do  produto antes de dormir.

 

Armazenar em um local apropriado:
O ambiente deve ser limpo, fresco e seco. Lugares úmidos e sujos podem aumentar a proliferação de microorganismos e tornar os produtos impróprios para uso. Faça a limpeza e a higienização dos pincéis de sombra - após o uso - com produtos específicos.

 

O ideal é colocar as lentes de contato antes de se maquiar:
Para diminuir o risco de qualquer produto ficar entre a lente de contato e a córnea, recomenda-se colocar a lente de contato de cinco a dez minutos antes de aplicar a maquiagem.

 

Consulta oftalmológica de rotina anualmente:

É conveniente consultar seu médico oftalmologista para explicação detalhada do processo de limpeza e avaliar se há danos  às estruturas oculares.
19 de outubro de 2016 | Leandro Amaral

Dia Mundial da Visão

“Abra os olhos para a sua visão. Não perca mais tempo”

#juntos somos mais fortes #strongertogether.

O foco é alertar a população para a necessidade de verificar regularmente a saúde dos seus olhos, dando particular ênfase ao diagnóstico precoce como fator decisivo para a prevenção das doenças oculares.

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 60 – 80% de todos os casos de cegueira são evitáveis. Hoje, no Brasil, há mais de 1,2 milhão de cegos, isto significa que quase 700 mil brasileiros que são cegos, poderiam estar enxergando se tivessem recebido tratamento no momento adequado.

 

No entanto, não estamos sozinhos. A OMS se uniu a outras instituições globais para levantar dados estatísticos e, ao menos, uma vez por ano, chamar atenção da sociedade para os perigos da cegueira evitável. Comemorado todos os anos na segunda quinta-feira do mês de outubro, médicos, pacientes, autoridades e comunidades realizam ações de conscientização e esclarecimento para que todos possam ajudar a manter uma boa saúde ocular.

 

Muitas vezes, na realidade do interior, pensa-se que cego é apenas aquele senhor ou senhora que anda de óculos escuro, com bengala na mão e acompanhado por outra pessoa, ou aquele que está sempre restrito à sua residência, pois não encontra uma cidade com o mínimo de suporte para independência. Na verdade, passamos por muitos que não enxergam de um dos olhos e nem percebemos o impacto causado em sua qualidade de vida profissional e social.

 

É por isso que solicitamos que divulguem em suas redes sociais #juntos somos mais fortes #strongertogether, cobre dos seus governantes que ofereçam serviços completos de atendimento oftalmológico em sua cidade ou que ofereçam acesso em um município mais próximo.

19 de setembro de 2016 | Leandro Amaral

Pterígio, a famosa ‘carne no olho’

O pterígio acomete mais as pessoas que vivem em região tropical, como o nordeste brasileiro, provavelmente por passarem muito tempo expostas à luz do sol, e ao ar livre.

Frequentemente, as queixas são de ardência, irritação, vermelhidão ocular e sensibilidade à luz, principalmente a solar.

Pterígio, ou ‘carne no olho’ – como é popularmente conhecida -, é uma doença degenerativa, formada por um tecido fibroso e vascularizado que cresce mais frequentemente nos cantos do olho. Pode permanecer pequeno, ou crescer para o centro, prejudicando a visão.

 

Frequentemente, as queixas são de ardência, irritação, vermelhidão ocular e sensibilidade à luz, principalmente a solar. Comumente os sintomas pioram quando há exposição excessiva ao ar condicionado, poeira, sol, vento, esforço visual, ou fumaça.

 

O pterígio acomete mais as pessoas que vivem em região tropical, como o nordeste brasileiro, provavelmente por passarem muito tempo expostas à luz do sol, e ao ar livre.

 

Se com o crescimento - suficiente para prejudicar a visão -, inflamar constantemente, prejudicando a saúde do paciente, deve ser removido em procedimento cirúrgico. Diversas técnicas estão disponíveis, e são eficazes. Porém, as que dão melhores resultados são as que incluem o transplante conjuntival, uma fina camada de conjuntiva que ficará por cima de onde a chamada ‘carne no olho’ foi removida, reduzindo, assim, sua recorrência para apenas 5%.

20 de agosto de 2016 | Leandro Amaral

Você costuma ler à noite?

Na maioria das vezes, essa prática ocorre após uma jornada de trabalho, ou de estudos ao longo do dia...

Há dois fatores a serem considerados tanto na leitura de lazer, quanto na leitura de trabalho ou estudo noturno. Primeiro: a iluminação não é natural. Segundo: na maioria das vezes, essa prática ocorre após uma jornada de trabalho, ou de estudos ao longo do dia. Desta forma, devemos usar uma luz adequada a fim de que o hábito da leitura à noite não se transforme em um transtorno e, também, respeitar as nossas limitações, porque o cansaço vai tomar conta de todo o corpo à noite, incluindo a musculatura intraocular.

 

Os sintomas manifestam-se por dor de cabeça, cansaço nos olhos, e desinteresse sobre a matéria. Mas também pode indicar que o indivíduo tem um pequeno grau de refração que precisa ser corrigido ou reajustado. A leitura intensa exige trabalho extra da musculatura intraocular. Com o passar dos anos essa musculatura começa a ficar cansada mais facilmente e gera as dificuldades que levam a relatos como, ‘doutor, estou lendo bem na apostila, mas quando tenho que olhar para o quadro, fica tudo embaçado e preciso de alguns segundos para focar’.

 

Dicas: adequar uma lâmpada 60 watts, a 50 cm de altura do ponto de leitura e respeitar intervalos de relaxamento - levantar a cada 1 hora para tomar um copo de água ou ir ao banheiro. Respeitar os limites do corpo é a dica principal. Sua visão deve ser tratada e acompanhada pelo médico oftalmologista.

 

BOA LEITURA!

19 de julho de 2016 | Leandro Amaral

Presbiopia

O tratamento para presbiopia envolve o uso de lentes corretivas, desde óculos multifocais, bifocais, óculos para perto a uso de lentes de contato e realização de procedimentos cirúrgicos.

Os 40 anos vem chegando e, de repente, aparece uma crescente dificuldade para ler jornais, ver as horas no relógio ou ler as mensagens no celular e smartphone. Esta é uma transição normal de perda de visão para as pessoas dessa idade, e faz parte do processo natural de envelhecimento. Popularmente chamado de “vista cansada”, mas com o nome técnico de presbiopia, é muito incômodo e só quem usa óculos para perto sabe como é.

 

O problema acontece no cristalino - a lente do olho-, aquele mesmo que com a idade opacifica e provoca a catarata. Só que neste caso, o cristalino cresce dentro do olho durante toda a vida. Quando jovem, a ação do músculo do olho (músculo ciliar) é capaz de mover o cristalino e focar os objetos para perto e para longe, semelhante a uma máquina fotográfica, processo este chamado de acomodação. Após os 40 anos, este crescimento atinge níveis que impossibilitam sua completa acomodação, estabelecendo uma presbiopia que avança lentamente e tende a estabilizar por volta dos 60 anos.

 

O tratamento para presbiopia envolve o uso de lentes corretivas, desde óculos multifocais, bifocais, óculos para perto a uso de lentes de contato e realização de procedimentos cirúrgicos. O mais comum é o uso de óculos, pelo baixo preço e facilidade de correção. Os outros procedimentos necessitam de maior cuidado ao uso, como no caso das lentes de contato, de tecnologia e profissional capacitado para realização das cirurgias.

21 de junho de 2016 | Leandro Amaral

Uso excessivo de celulares tablets e smartphones pode prejudicar a visão

O alerta é devido a resultados de testes que revelaram associação positiva entre exposição a essa luz com degeneração macular, uma das principais causas de cegueira

As pessoas que passam horas em frente a diversos tipos de tela podem aumentar os riscos de danos aos olhos. A luz azul violeta, que brilha na tela dos smartphones, é potencialmente perigosa e tóxica à retina (fundo do olho). O alerta é devido a resultados de testes que revelaram associação positiva entre exposição a essa luz com degeneração macular, uma das principais causas de cegueira.

 

Apesar de a luz azul ser necessária para ajudar a regular o relógio biológico, acredita-se, também, que uma longa exposição pode afetar os padrões de sono e o humor, e não só o conteúdo e as informações visualizadas em seus aparelhos.

 

Além disso, a combinação de não piscar os olhos o suficiente, colocar o dispositivo a uma distância menor do que o necessário provoca irritação ocular e problemas ortopédicos em membros superiores e coluna. Estatísticas também sugerem um grau importante de ansiedade e irritação quando os usuários estão longe do seu telefone e não conseguem checar suas mensagens e chamadas.
20 de maio de 2016 | Leandro Amaral

O que é catarata

O tratamento é feito com microcirurgia a Laser ou Facoemulsificação, onde ocorrerá a substituição do cristalino natural por uma lente artificial.

A catarata é a principal causa de cegueira reversível no mundo, causada pelo envelhecimento do cristalino, a lente natural do olho. Com o passar dos anos vai se tornando turva e acaba reduzindo a entrada de luz no olho, diminuindo gradativamente a qualidade da visão. O termo catarata é uma alusão à semelhança de se estar "vendo através de uma queda d'água".

 

Os sintomas têm início com perda gradual da qualidade da visão, as cores vão se apagando, a visão embaçando e as imagens se tornam distorcidas. Manchas podem aparecer no eixo visual, e no estágio avançado, causar cegueira. A causa mais comum está relacionada à idade, a partir dos 60 anos. Em jovens e crianças pode ser causadas por traumas, medicamentos, infecções, desordens metabólicas, como diabetes etc.

 

O tratamento é feito com microcirurgia a Laser ou Facoemulsificação, onde ocorrerá a substituição do cristalino natural por uma lente artificial. Todo o procedimento é feito por uma microincisão que não

 

A catarata é a principal causa de cegueira reversível no mundo, causada pelo envelhecimento do cristalino, a lente natural do olho. Com o passar dos anos vai se tornando turva e acaba reduzindo a entrada de luz no olho, diminuindo gradativamente a qualidade da visão. O termo catarata é uma alusão à semelhança de se estar "vendo através de uma queda d'água".

 

Os sintomas têm início com perda gradual da qualidade da visão, as cores vão se apagando, a visão embaçando e as imagens se tornam distorcidas. Manchas podem aparecer no eixo visual, e no estágio avançado, causar cegueira. A causa mais comum está relacionada à idade, a partir dos 60 anos. Em jovens e crianças pode ser causadas por traumas, medicamentos, infecções, desordens metabólicas, como diabetes etc.

 

O tratamento é feito com microcirurgia a Laser ou Facoemulsificação, onde ocorrerá a substituição do cristalino natural por uma lente artificial. Todo o procedimento é feito por uma microincisão que não necessita de pontos. A anestesia é feita por colírios, assim como no pós operatório. Por ser um procedimento de baixo risco, a alta hospitalar é imediata.

19 de abril de 2016 | Leandro Amaral

Diabetes no olho, o que é?

Para prevenir esta doença ou evitar que ela progrida, o diabético deve adotar um estilo de vida saudável e seguir à risca todo o tratamento prescrito pelo seu médico.

Dibetes mellitus é o nome de uma doença caracterizada por aumento da glicemia (açúcar no sangue), que pode ter inúmeras consequências, entre elas, infartos, insuficiência renal e até cegueira. Por isso, todo paciente portador dessa doença precisa ficar muito atento à saúde ocular.

 

O nome da doença que o diabetes causa no olho é a Retinopatia Diabética, que surge quando os pequenos vasos sanguíneos da retina são danificados, provocando “inchaço” e hemorragias. Rotineiramente o paciente sente borramento, distorção e percepção de alguns pontos escuros e flutuantes na visão.

 

O excesso de açúcar no sangue por longos períodos é o principal responsável pela Retinopatia diabética e além do que já foi descrito aqui, também pode provocar outra doença, o Edema Macular Diabético. Esta doença afeta a parte mais nobre da visão, podendo levar a perda visual grave, mesmo que a lesão seja pequena.

 

Para prevenir esta doença ou evitar que ela progrida, o diabético deve adotar um estilo de vida saudável e seguir à risca todo o tratamento prescrito pelo seu médico. Além disso, e não menos importante, são os exames periódicos de sangue e com um oftalmologista, pois frequentemente é preciso ajustar as doses das medicações. Lembre-se: quanto antes estas doenças forem descobertas, maiores as chances de controle, ou mesmo de cura.
16 de março de 2016 | Leandro Amaral

Degeneração macular

O diagnóstico é feito pelo médico oftalmologista, por meio do exame mapeamento de retina, porém ainda não existe cura

A mácula fica localizada no fundo do olho, mais precisamente na retina, e é a área onde há a melhor qualidade de visão para leitura, pequenos detalhes e cores. Ao perder sua função ocorre distorção dos objetos e “borramento” da vista na região central do campo de visão.

 

No início da doença, os sintomas são muito discretos e imperceptíveis, por vezes apenas um olho é acometido e a visão do outro olho se preserva por muito tempo. Dentre os principais sintomas estão a opacificação das cores, linhas retas que se tornam distorcidas, mancha escura ou embaçada no centro da visão.

 

O diagnóstico é feito pelo médico oftalmologista, por meio do exame mapeamento de retina, porém ainda não existe cura. A degeneração macular pode e deve ser tratada no aspecto de evitar a perda mais acentuada da visão, seja com laser, uso de remédios, vitaminas especiais ou uso de lentes especiais.

 

Como a vovó já dizia, é melhor prevenir a remediar, o uso de óculos escuros de qualidade é muito importante, já que os raios ultravioletas (UV) parecem ser o principal preponderante no desenvolvimento da doença. Portanto, se você mora em área com muita exposição solar, aconselho a não negligenciar o uso de lentes escuras, elas não servem só para estética e conforto da visão.

 

Fica a dica!

17 de fevereiro de 2016 | Leandro Amaral

Glaucoma

O tratamento pode ser feito com colírios ou cirurgia.

Tão complexo quanto tratar hipertensão arterial e diabetes mellitus, o glaucoma também possui suas particularidades e é uma das principais causas de cegueira no mundo. Sendo que as estatísticas estimam que aproximadamente 50% dos doentes permanecem sem diagnóstico.

 

Ainda não existem informações suficientes para cravar a definição de glaucoma, porém em todas as formas da doença existe lesão do nervo óptico (nervo do olho) que é potencialmente progressiva e associada à redução do campo de visão periférico, onde a elevação da pressão intraocular é o principal fator de risco.

 

A prevalência do glaucoma começa a elevar-se mais intensamente a partir dos 40 anos de idade e apresenta uma taxa de 2% nesta idade, e 10% dos indivíduos com mais de 80 anos. Portanto, quanto maior a idade, maior a chance de desenvolver a doença.

 

Vale lembrar, ainda, que além da pressão intraocular elevada e idade avançada, o glaucoma é mais comum na população de etnia negra, diabéticos, míopes, portadores de doenças dos vasos sanguíneos e quem é parente de primeiro grau de pessoa glaucomatosa possui aproximadamente dez vezes mais chance de desenvolver a doença em relação a população geral.

O tratamento pode ser feito com colírios ou cirurgia, a depender do caso, sempre com o objetivo de reduzir a pressão intraocular e prevenir a redução funcional da visão, desacelerando a perda da mesma e, consequentemente, melhorando a qualidade de vida e independência de adultos e idosos.

20 de janeiro de 2016 | Leandro Amaral

Você possui dificuldade para enxergar, qual é o seu ‘grau’?

A escolha de qual tratamento escolher vai depender de cada paciente, da idade e de como a doença se manifesta.

Os erros refrativos, conhecidos popularmente como ‘grau’, é a principal causa de deficiência visual. Trata-se de um problema importante e que se não corrigido poderá levar a graves consequências, como queda do rendimento escolar, acidentes de trânsito e de trabalho.

 

O diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento com melhores resultados e evitar as consequências da deficiência deste tão importante sentido. Para isso, é importante que pais e professores estejam atentos a qualquer sinal de desconforto na visão das crianças, e que os adultos não adiem a consulta com o médico oftalmologista.

 

A miopia, dificuldade para enxergar de longe, hipermetropia, dificuldade para enxergar de perto, astigmatismo, visão borrada e presbiopia, outra doença que leva a dificuldade para enxergar de perto são os principais erros refrativos a serem corrigidos.

 

Além dos óculos, algumas dessas doenças podem ser tratadas com lentes de contato e cirurgia. Todas estas correções devem ser prescritas e executadas por médicos, único profissional habilitado para o diagnóstico e tratamento destas condições.

A escolha de qual tratamento escolher vai depender de cada paciente, da idade e de como a doença se manifesta. É importante retornar ao consultório médico com os óculos e/ou com as lentes de contato para verificar a correta fabricação e posicionamento das lentes na armação e observar possíveis modificações nas lentes de contato ou no olho, garantindo assim, uma ótima saúde ocular.